Seis países com o maior número de ateus



Seis países com o maior número de ateus

Por Sergio Viula


O jornal britânico The Independent publicou uma curiosa matéria sobre os seis países com maior número de ateus no mundo. A publicação é recente, março de 2016. Decidi traduzi-la com leves adaptações para o deleite dos leitores do www.viulaateu.wordpress.com.



Pela primeira vez, a Noruega agora tem mais pessoas que não acreditam em Deus do que pessoas que acreditam – com 39 por cento de ateus versus 37 por cento de crentes. Ressalto que a palavra ‘crentes’ aqui será utilizada em referência a qualquer pessoa que tenha crença religiosa, não necessariamente cristãos.

Nos EUA, uma nação cuja nota de dólar declara “Em Deus, Confiamos”, a crença na deidade cristã também está em baixa quando comparada a anos anteriores.

A pesquisa revela que, entre os americanos, os ateus quase dobraram de 1980 para 2014 – e que um número cinco vezes maior de pessoas disseram que nunca oraram.

Agora, um mapa revela os graus de religiosidade ao redor do mundo considerando os países onde mais respondentes disseram que são “ateus convictos”.

Todavia, apesar da tendência para que cada vez menos pessoas acreditem em Deus ao redor do mundo, parece que somente alguns países têm mais de 20 por cento de seus cidadãos rejeitando inteiramente as noções de divindade.

Aqui estão seis dos países mais ateus do mundo, sem incluir a Noruega:


1. China






A China tem de longe o maior percentual de ateus convictos dentre todos os países do mundo, mas não chega a metade de sua população.

De acordo com o instituto Win/Gallup, entre 40 e 49,9 por cento dos chineses se identificam como inclinados ao agnosticismo quando se trata de acreditar numa divindade superior.

Uma das cosmovisões filosóficas mais antigas do país, o Confucionismo, também é notavelmente desprovido de crença numa divindade sobrenatural.



2. Japão





Vizinho à China, outras nações orientais abrigam pessoas comprometidas com uma visão de mundo que não inclui Deus.

Entre 30 e 39 por cento das pessoas nas ilhas japonesas dizem ser “ateus convictos”.

A religião no Japão tem sido historicamente centrada no Xintoísmo, que é baseado num ritual e numa mitologia voltadas ao remoto passado do Japão, mais do que baseado num Deus que tudo vê.

Todavia, o xintoísmo permanece espiritual em sua natureza e não poderia ser chamado de ateu. Ainda assim, o xintoísmo, assim como o budismo no Japão, tem visto um declínio de seguidores em anos recentes.



3. República Tcheca




Um provavelmente surpreendente terceiro candidato a figurar entre os países menos religiosos do mundo é a República Tcheca com algo entre 30 e 39 por cento de ateus entre seus cidadãos.

O fraco apoio à igreja tradicional poderia ser o legado e um forte nacionalismo Tcheco através dos séculos 19 e 20.

O catolicismo era visto como uma importação austríaca e era desencorajado pelo Estado e o protestantismo nunca conseguiu realmente preencher o espaço deixado, de acordo com historiadores.

O passado comunista do país também suprimiu qualquer reavivamento religioso, indo de 1948 a 1989.



4. França





A terra do romance se destaca de muitos de seus vizinhos europeus com pelo menos um quinto de seus cidadãos dizendo que são “ateus convictos”.

Semelhantemente à China, a França tem uma história de Estado buscando reduzir o poder das instituições religiosas dentro de suas fronteiras.

A Revolução Francesa em 1789 derrubou o catolicismo romano como a religião do Estado e uma lei foi aprovada em 1905 para formalmente separar a igreja do Estado.

No Reino Unido, em contraste, a chefe do Estado também é a chefe da igreja – a rainha.


5. Austrália



Entre 10 e 19 por cento dos Australianos dizem que são “ateus convictos”, talvez nada surpreendente para um país com uma forte tradição de governo secular.

Um enquadramento legal garantiu a igualdade religiosa dentro de algumas décadas depois que os colonialistas chegaram em 1788, eliminando o privilégio da Igreja da Inglaterra.

Muitos outros povos religiosos aproveitaram as oportunidades comerciais na Austrália, incluindo muçulmanos e judeus.

Hoje, porém, a maioria cristã está em contínuo declínio e mais cidadãos se identificam como não tendo um deus.



6. Islândia




O catolicismo foi proibido no país setentrional europeu em 1550, e a liberdade religiosa veio a ser um direito legal em 1874.

Apesar de muitos cidadãos da Islândia se considerarem luteranos, uma pequena proporção segue religiões populares, e o restante se considera como “ateus convictos”.

Isso perfaz somente 10 a 19 por cento da população, mas coloca a Islândia entre os países mais ateus do mundo.



E o Brasil?





Apesar do instituto Win/Gallup não ter pesquisado o Brasil, o censo de 2010, realizado pelo IBGE, encontrou 15 milhões de pessoas que se declaravam ateus ou sem religião. Os ateus seriam 615 mil dentro desse grupo, pois aí também estão os agnósticos e outros irreligiosos. O total da população era de 190,7 milhões.

Contudo, o ateísmo parece ter aumentado no Brasil. Aguardemos o próximo censo para confirmarmos ou descartarmos essa impressão.



*********

Fonte sobre a pesquisa do Win/Gallup: The Independent





Originalmente publicado em 7 de agosto de 2016

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A face mutante do Diabo e sua utilidade para a igreja

De onde vem essa história de que a carne é fraca?

Os fantasmas da (i)moralidade religiosa querendo assombrar o ensino de biologia