Mais um outono…



Por Sergio Viula



 
Eu e minha mãe – hoje, 08 de maio de 2016




Geralmente, as pessoas se referem ao aniversário como mais uma primavera. Claro, a primavera é símbolo de renovação da vida. É nela que as flores preenchem as copas das árvores, muitos animais acasalam e – no hemisfério norte – o gelo derrete. É o fim da ‘morte’ para o renascimento nessa estação, com seu auge no verão.

Mas como nasci em maio, vou dizer que estou comemorando mais um outono. Estou pensando literalmente. Essa é a estação em que nasci e que amo. Gosto do outono e do inverno, porque não gosto do calor insuportável que sofremos no Rio de Janeiro, especialmente entre novembro e março. As temperaturas chegam e até passam dos 45º centígrados. É quente até na sombra. Até mesmo durante a noite. É de encharcar qualquer lençol, e isso sem qualquer atividade extra, se é que vocês me entendem. É só deitar para dormir que você fica banhado de suor nessa estufa. Felizmente, já inventaram o ar-condicionado, mas isso tem seu preço. E é bem alto.

Bem, fato é que comemorei mais um aniversário nesse dia das mães (2016). E dessa vez, foi na casa de minha mãe, que sempre gosta de dizer que me trouxe para casa recém-nascido justamente no dia das mães, porque nasci numa quinta-feira, dia 08 de maio de 1969. Sim, 69 até na data de nascimento. Doce predestinação ou apenas uma gostosa coincidência? (rindo alto aqui)

Voltando à minha mãe, ela chegou com seu primeiro filho, um menino que inaugurava sua maternidade, mais tarde premiada com duas meninas. A casa estava toda florida e exalava amor e parabéns. Meu pai, todo bobo. Era seu primeiro filho. Tradicional até então, essa família mudaria muito daí em diante. ^^

Hoje, sendo dia das mães e meu aniversário novamente, minha mãe preparou duas lasanhas maravilhosas, pudim de leite condensado, gelatina, etc. Eu ainda levei dois frangos assados, coca-cola e sorvete de morango. Foi uma festa. Andre, eu, minha irmã Simone, meu pai e minha mãe passamos quatro horas batendo papo ao redor da mesa. A conversa rolou quase sem fim. Dali, fomos encontrar com minha outra irmã e minha cunhada. Sim, minha mãe tem um filho gay, uma filha lésbica e uma filha heterossexual. lol De repente, estávamos eu, Andre, minha irmã Katia e a namorada dela, minha mãe e meu filho, que tinha acabado de chegar da casa da mãe, conversando e comendo mais guloseimas – mais as meninas do que nós, na verdade, porque já estávamos prá lá de cevados… (risos)

Minha mãe é crente e não perde tempo. Ora pela família, pela comida e até por gente que ela nem conhece espalhada por esse mundo. Eu sou ateu, mas tenho paciência e sei que ela faz isso com a melhor das intenções. Já fui assim também. ^^ Mas ela é uma das pessoas mais humanas que conheço e sempre digo que a igreja dela precisa mais dela do que o contrário. Se não fosse ela e mais alguns que vivem em amor genuíno, aquilo lá não prestaria nem para criadouro de Aedes Egypt. Mas isso é papo para outra hora.



 
Andre, eu, minha mãe e Kátia – além de todas as guloseimas, 
minha irmã ainda comprou esse bolo na Parmê. Delicioso!




A moral da história é que viver é bom demais! Especialmente, cercado de amor. Que bom foi receber o amor da minha mãe (de novo), do meu pai, do meu filho, da minha irmã, da minha cunhada e do meu lindo marido, que até vídeo fez para mim hoje. Logo ele que não gosta de gravar ou aparecer em vídeos. Veja se não foi fofo aqui: http://www.foradoarmario.net/2016/05/mensagem-de-aniversario-do-meu-amor.html

Aliás, estou comemorando com ele desde sexta-feira… hehehehe Fotos aqui: http://www.foradoarmario.net/2016/05/aniversario-em-dia-das-maes-e-igual.html

Agradeço a todos os que me enviaram seu carinho: ateus, religiosos, gays, trans, lésbicas, heterossexuais e uma pá de gente deliciosamente queer. Desejo que vivam intensamente cada momento e que sejam felizes por pelo menos 100 anos de vida! E tudo isso sem medo e sem culpa, porque não faz o menor sentido renunciar a terra, o corpo e tudo que esses dois podem fazer juntos.


Legenda do Gif: 

PROVAVELMENTE, NÃO HÁ DEUS, NEM COELHO DA PÁSCOA, NEM FADA DO DENTE, NEM CONSPIRAÇÃO, NEM PÉ GRANDE, NEM MONSTRO DO LAGO NESS, NEM HABILIDADE PARANORMAL, NEM FANTASMAS, NEM ASTROLOGIA DE VERDADE, NEM ADIVINHOS, NEM VODU.

AGORA, PARE DE SE PREOCUPAR
E APROVEITE A VIDA.







Originalmente publicado em 9 de maio de 2016.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A face mutante do Diabo e sua utilidade para a igreja

Os fantasmas da (i)moralidade religiosa querendo assombrar o ensino de biologia

O tempo e o senso comum