Mãe que matou o filho adolescente é evangélica

A faca afiada de uma evangélica filicida



Você já ouviu falar de Tatiana Lozano Pereira, a mulher que matou o próprio filho em dezembro passado. Ela e o marido (padrasto do menino) foram cúmplices. Alex Canteli Pereira carbonizou o corpo do jovem e o enterrou depois que Tatiana contratou dois homens para matá-lo. De acordo com as investigações, ela esfaqueou o próprio filho, que implorava pela vida, porque os capangas não tiveram coragem de desferir o golpe final.
Tatiana inventou todo o tipo de “justificativas” para seu crime – todas elas culpando Itaberli Lozano, um rapaz de apenas 17 anos, trabalhador, apesar da idade, a quem ela atraiu para uma emboscada em sua própria casa. O menino estava na casa da avó, quando a mãe pediu, via celular, que ele voltasse para casa porque ficaria tudo bem entre eles. O crime aconteceu entre o natal e o ano novo, quando as pessoas estão mais propensas a acreditar que a vida pode ser melhor dali para frente.
O cadáver do jovem foi levado de carro até a zona rural  da cidade de Cravinhos, SP,  próximo à Rodovia José Fregonesi, e incendiado.
Foi a avó do rapaz que registrou um boletim de ocorrência e avisou as autoridades que o jovem estava desaparecido. Ela não imaginava que o menino tinha sido assassinado pela própria mãe com a cumplicidade do padrasto.
Tanto Tatiana quanto Alex foram indiciados pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima, além de ocultação de cadáver. Tatiana foi levada para a Cadeia Feminina de Cajuru (SP), enquanto Alex foi encaminhado para a Cadeia de Santa Rosa de Viterbo.
O tio paterno de Itaberli acredita que a motivação do crime tenha sido homofobia. Segundo ele, a mãe não aceitava a sexualidade do filho. “A mãe dele não aceitava e a gente já desconfiava, porque ela não quis prestar queixa. Acho que a mãe tem que cuidar do filho e não fazer o que ela fez. Ele era um rapaz que trabalhava, era educado, era um menino, mas estava na fase de trabalhador”, disse Dario Rosa.
Segundo o tio do menino, a mãe tentou desviar a investigação dizendo que não sabia onde ele estava e que talvez ele estivesse morando com algum amigo.
Agora, uma simples olhada no perfil de Tatiana, a assassina, é suficiente para se ver a que crenças Tatiana subscrevia…
SIM, você acertou: Ela é EVANGÉLICA.
Claro que isso não significa que pessoas evangélicas sejam todas assassinas reprimidas, mas é perturbador que tanta conversa fiada sobre amor não faça a menor diferença na vida de muitos dos que frequentam essas igrejas e ouvem seus pregadores. Não digo “todos”, mas também não digo “alguns”. Digo MUITOS dos que frequentam essas igrejas e ouvem esses pastores, porque muitos (não todos, não alguns, não poucos) são odiadores compulsivos – odeiam tudo o que não se encaixa no estúpido e minúsculo mundo mental deles. Se usassem contra si o mesmo rigor que usam para acusar os outros, seriam todos SUICIDAS, mas não chegam a ter coragem para tanto. Agora, para esfaquear o filho mortalmente, Tatiana não teve dificuldade alguma. Enquanto muitas pessoas seriam incapazes de degolar um frango para comer, essa filicida esfaqueou o próprio filho no pescoço sem que ele tivesse a menor chance de escapar ou de se defender.
Você acha que estou exagerando quanto à devoção dessa assassina homofóbica? Então, deixo vocês com a “IRMÔ Tatiana Lozano, a serva do Senhor nas fotos abaixo.
Se esse post servir para que você pare de tentar se consolar dizendo que “não são todos”, e entender que não faz a menor diferença repetir esse mantra, e que se você não se opuser a qualquer sinal de preconceito ou discriminação contra pessoas LGBT, você não é, essencialmente falando, tão diferente assim dessa homofóbica Tatiana Lozano, então, terá valido a pena ler essa postagem.
A FÉ DE TATANA LOZANO, ASSASSINA HOMOFÓBICA DO PRÓPRIO FILHO EM 10 IMAGENS COM COMENTÁRIOS MEUS LOGO ABAIXO DE CADA UMA:

Uma assassina planejando a morte do próprio filho e dizendo “não temas, que eu te ajudo” é uma piada macabra bem ao estilo do sanguinário Jeová. A caixinha de promessas de onde se retiram versículos (foto) está cheia de passagens que parecem muito amorosas, mas que estão cheias de sangue. Os dois versículos imediatamente anteriores a esse (Isaías 41:13), isto é, Isaías 41:11-12, são versos que falam da destruição de pessoas e povos inteiros pelo sanguinário Jeová:
Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se indignaram contra ti; tornar-se-ão em nada, e os que contenderem contigo, perecerão.
Buscá-los-ás, porém não os acharás; os que pelejarem contigo, tornar-se-ão em nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo.  (Isaías 41:11,12 – grifo meu)
Jeová está dizendo que vai aniquilar pessoas, povos inteiros. No meio de tudo isso, um versinho bonitinho para um “escolhido” judeu, que nada tem a ver com uma crente do século 21 em SP, mas faz conta que tem.


Nada mais inútil do que a oração. E pior é que ao orar, os crentes (de qualquer fé) acreditam que estão fazendo algo muito especial. No fundo, eles sabem que não. Afinal, se orar resolvesse alguma coisa, não haveria uma só criança com microcefalia por causa da Zika. Pelo menos, não desde que os primeiros casos foram identificados. O que mais se vê são mães e pais e outros parentes orando para que a Zika contraída durante a gestação não provoque essa deformação, mas as crianças continuam nascendo deformadas em  consequência do vírus. Cientistas trabalham incansavelmente para encontrar um meio de prevenir essa tragédia, enquanto os crentes aguardam os resultados para depois dizerem que foi deus que guiou os cientistas. Meu cu!
Sobre o que será que ela estava orando? Será que era para o filho deixar de ser gay, como pensam muitos dos seus “irmãozinhos” nas milhares de igrejas espalhadas por esse país?
De qualquer modo, o que ela não “resolveu” de joelhos, ela “resolveu” com uma faca amolada. Agora, vai ter muto tempo para orar na cadeia. Infelizmente, a vítima não voltará a viver por causa disso.


“AME. É ESSE O MAIOR MANDAMENTO.”
Serio? E é preciso receber um mandamento para amar, especialmente um filho?
Amor pode ser mandado? Quem ama não precisa de mandamento.
E quando foi que mandamento fez alguém amar. No máximo, respeita-se o espaço alheio por mandamento, lei ou regra. Amor é coisa de outra feitura. E nem disso os escritores da Bíblia pareciam entender. Os leitores parecem entender menos ainda.
Além disso, quem foi que matou mais do que a Igreja e os “filhos de deus” que vivem em suas missas e cultos? Quem mata hoje mais do que cristãos, judeus e muçulmanos no mundo – todos três monoteístas e cheios de crenças em comum?

Ela ama o Evangelho… Como muitos outros crentes que vejo publicando comentários homofóbicos em páginas dedicadas a combater a homofobia e outras formas de preconceito motivado por LGBTfobia. Ela diz que ama o Evangelho, mas matar foi só a última estação da via crucis que seu filho enfrentou.
A viagem entre a ofensa e o crime não é tão longa quanto se pensa.
Se ela tivesse lido e obedecido ao que Jesus supostamente disse, talvez ela tivesse evitado o ódio que gerou o crime.
Odiadores das mídias sociais, vocês não são melhores do que essa Tatiana. Vocês alimentam a homofobia com seus comentários e com atitudes LGBTfóbicas de todos os tipos. E se acreditam no Evangelho, tenho más notícias para vocês: Vocês etão indo para o inferno. Mas, nem por isso, precipitem-se em concluir que eu acredite em inferno. Não mesmo. Mas se vocês dizem acreditar em inferno ou em justiça divina de algum tipo, deviam levar isso aqui a sério:
Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno. (Mateus 5:22)
A cólera e o xingamento já são suficientes para que você tenha uma cadeira cativa entre as chamas eternas com a companhia do Capiroto. E isso é o que vocês são mestres em fazer nas redes sociais. Boa viagem.
Mas, deixando os mitos de lado, o único inferno que essa Tatiana homofóbica e assassina poderá enfrentar, ela já está encarando: A cadeia! E bem longe do maridinho homofóbico e criminoso dela, que não vai poder “chegar junto” em alguma possível visita íntima porque ele também está preso. Que fiquem lá por 30 anos sem trégua.


Era uma mulher de oração mesmo… Ora com a boca e mata com as mãos.

Será que ela é profetiza? Só que não. Não foi deus que arrancou a máscara da cara dela. Primeiro, porque a família já sabia que ela era homofóbica. O tio paterno do menino mesmo disse que sabia que ela não aceitava o garoto. Gente como essa mulher acredita e apoia aquilo que dizem pregadores do ódio contra as pessoas LGBT. Elas costumam jurar fidelidade a políticos oportunistas que defendem  o”corretivo” para que o filho pare de desmunhecar. Gente com essa mentalidade e outros idiotas costumam votar ou sustentar esses hipócritas. São todos cúmplices em alguma medida.

Como é santa a assassina! Sendo crente, ela já tem alguém a quem culpar agora –  o diabo, cujas costas largas são utilíssimas para tranquilizar as consciências desses moralistas hipócritas depois de todo e qualquer malfeito. A obsessão pelo diabo é tanta que essa gente se culpa até por prazeres inofensivos que os padres e pastores demonizam. Quanto a isso, há pelo menos dois tipos de crentes: os idiotas sinceros e os cínicos oportunistas.

Deus se fez de surdo para ela como se fez enquanto a serpente falava com Eva sobre comer o fruto proibido, como se fez para Caim no momento de sua oferta, como se fez para Moisés quando pediu para entrar na Terra Prometida, como se fez para Jesus no momento da crucificação. Deus gosta de brincar de surdo quando lhe interessa. Deus também não deu a mínima para os gritos do jovem Itaberli enquanto era esfaqueado. Ele gritou, e gritou muito, de acordo com uma das pessoas presentes na cena do crime, mas como é que um personagem mítico poderia ajudar um ser humano diante de um perigo real e inescapável como esse de ser um adolescente dominado por homens mais fortes do que ele e armados a faca, tendo a mãe (essa sim real) como comandante da quadrilha?

Ela assistir Os Dez Mandamentos, produção da Rede Record, a emissora do Bispo Macedo… Ora, vejam só.. E você pensando que um dos relatos mais xenofóbicos da Bíblia poderia ser padrão de boa conduta para alguém. Não que ela tenha se tornado uma assassina por causa das praguinhas jeovistas ou por causa da raivinha de Moisés contra o povo do Egito e até mesmo contra os judeus por qualquer motivo. Não mesmo. Mas que exemplos dados ali  seriam melhores do que os de qualquer videogame que eles demonizam, inclusive Assassin’ Creed?
Quanta ingenuidade! Que exemplo positivo e construtivo se pode tirar de um relato mítico que envolve todo o tipo de violência perpetrada por Jeová só para, supostamente, exibir-se diante de um punhado de africanos (sim, os egípcios eram e são africanos) e de semitas (os judeus são, alegadamente, filhos de Sem).
Resumindo: Os Dez Mandamentos não ajudaram em nada, apesar de seu “Não Matarás“, não é mesmo?

Mas fez, não fez? Fez tudo de um jeito bem sórdido antes, durante e depois do crime.
Antes do crime, enganou o menino para emboscá-lo sem resistência.
Durante o crime, testemunhou seu esfaqueamento e enfiou a faca no pescoço dele para se certificar de que morreria.
Depois do assassinato, carbonizou o corpo, enterrou o corpo e inventou que ele poderia estar morando com algum amigo para desviar a investigação.
Será que essa assassina pediu ajuda a deus para que ninguém descobrisse o que ela fez? É possível. O que não falta é bandido pedindo a proteção de deus antes de sair para cometer crimes nesse país.
MALAFAIA, FELICIANO, MAGNO MALTA, JAIR BOLSONARO (e família), VALDOMIRO, PR. EVERALDO e outros políticos, pregadores e pastores  que desprezam as pessoas LGBT, além de fazerem o que podem para atrasar qualquer avanço em relação a seus direitos nesse país, EIS AÍ A CRIA DE VOCÊS. Tatiana poderia ter sido orientada a amar e respeitar, acolher seu filho gay sem qualquer ressalva, mas não. Todo o lixo que vocês produzem circula por aí e ainda encontram repetidores que acrescentam mais lixo ainda.
Não lavem as mãos, hipócritas! Vocês alimentam a fantasia de que há algo errado com as pessoas gays, lésbicas, bissexuais ou transgêneras, e que elas são perigosas para a sociedade, mas quem porta as facas são as ovelhas que ouvem as declarações diabólicas de vocês. Elas vão para a cadeia no final das contas, enquanto vocês continuam em seus jatinhos às custas dos idiotas que acham que precisam de vocês para alguma coisa.
AGORA, querem saber qual é o cúmulo da ironia? Tatiana, a crente homofóbica assassina, publicou no dia 27 de dezembro, apenas dois dias antes do assassinato de seu próprio filho um vídeo da cantora evangélica Aline Barros com a música “RESSUSCITA-ME”. Você consegue imaginar isso?  https://www.facebook.com/StarGospelMusicas/videos/1543803622403474/
Deixa eu dar uma notícia a essa criminosa: Não, você não vai ressuscitar. Ninguém vai. E no seu caso, é uma pena mesmo… se é que vocês me entendem. Mas a cadeia lhe cai muito bem e tomara que você tome banho de sol no pátio da penitenciária pelos próximos 30 anos, porque, ao contrário de Bolsonazi, eu não penso que “bandido bom é bandido morto”. A morte pode ser uma bênção. Quero que você viva.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A face mutante do Diabo e sua utilidade para a igreja

Os fantasmas da (i)moralidade religiosa querendo assombrar o ensino de biologia

O tempo e o senso comum