Ateus cada vez mais resolvidos

Ateus cada vez mais resolvidos



É muito bom ver que os ateus estão cada vez mais seguros em falar de suas convicções em público. Essa semana, estava eu dando uma prova oral para um grupo de estudantes da língua inglesa em nível pré-intermediário, quando numa determinada pergunta sobre tratamentos chamados de ‘medicina’ alternativa, ele falou sobre o efeito placebo, explicando por que não acreditava na eficácia daqueles tratamentos. Ao longo da fala, ele disse categórica e simpaticamente “sou ateu”. Quase tive um cabrito!!! hehehehe Sorri e disse: Que interessante, fulano. E quase completei: bem-vindo ao clube. Mas não podia criar distrações durante a prova, que é feita em dupla. Futuramente, falarei com ele sobre isso. Talvez, ele até já saiba. Muitos alunos meus me conhecem primeiro pelo Google… hehehehe Quem manda ser abusado e ficar dando a cara a tapa? Não tem jeito, sou dessas. ^^
Mas, não é a primeira vez que isso me acontece. Tempos atrás, dei aula para um grupo de jovens iniciantes, e um dos mais brilhantes alunos disse que era ateu. A turma entrou em erupção. Deixei que ele mesmo se defendesse. E só fechei a conversa com a ressalva de que devemos respeitar a diversidade humana e o direito à crença ou não crença. Esse aluno acabou se tornando um bom amigo e já trocamos muitas ideias.
Ser ateu, porém, não torna ninguém imediatamente justo e coerente. Existem ateus bastante idiotas por aí. Mas, dá prazer ver gente com alto nível de conhecimento, equilíbrio, abertura para o outro, mesmo quando este lhe parece diferente, dizendo “sou ateu” ou “sou ateia”, não gratuitamente, mas em momentos nos quais isso possa ser realmente relevante.
Fico bastante feliz também quando vejo pessoas que, conquanto tenham alguma crença no sobrenatural, não se deixam levar por fanatismo e manipulação. São defensoras de valores importantíssimos como liberdade, igualdade e fraternidade. Elas dizem um NÃO  retumbante à qualquer tipo de discriminação e juntam suas vozes às dos que lutam por inclusão e dignidade na diversidade, inclusive sexual e de gênero. Tenho o privilégio de conhecer algumas assim. Tenho orgulho de tê-las como amigas.
Mas, sem dúvida, uma das boas coisas do magistério é poder estar em contato com gente que te inspira e acrescenta coisas boas à tua bagagem existencial. Eles dizem que também crescem nessa interação e isso me deixa super feliz.
Essa semana, tive um caso desses numa aula de conversação. A turma sugeriu temas a serem discutidos naquela aula. Num dado momento, surgiu o papo sobre HIV, AIDS e doenças sexualmente transmissíveis. A discussão foi super produtiva, mas na hora que eu fui alinhavar a atividade antes de passar para outro assunto, dei o costumeiro feedback sobre o desempenho deles, mas decidi acrescentar uma fala minha também. Comentei  sobre como eu lidava com esses temas na educação dos meus filhos. Eles ficaram surpresos, primeiro por ouvirem que eu tinha filhos (e eu me divirto muito com isso). Depois, pela abertura com que os eduquei nesse sentido.
Uma aluna minha que estuda medicina ficou super feliz com o que eu acabara de falar, e não poupou elogios às minhas posturas – o que só reforçou para a turma toda a importância do diálogo franco, da prevenção por meio da camisinha, da testagem regular e – em caso de soropositividade – o acompanhamento médico. Também incluí a gravidez não planejada, especialmente na adolescência, por falta de prevenção, que, por sua vez, pode ser falta de informação, de diálogo de garantias de que não se vai ser expulso de casa por simplesmente carregar um punhado de camisinhas na mochila. Sem dúvida, foi uma aula produtiva, na qual a confiança de que se pode falar de tudo – desde que as posturas sejam sempre as mais respeitosas – só cresceu.
Viver de bem com o próprio corpo é fundamental. Não temer o corpo alheio, idem. Cuidar-se para seu próprio bem e  para o bem de quem a gente ama ou com quem a gente se diverte – tanto faz – dispensa qualquer justificativa. É simplesmente a coisa a se fazer, e ponto. Faça o mesmo sem medo de ser feliz!

E não deixem de aproveitar todos os dias dessa semana para crescer mais um pouco em conhecimento. Que esses caras te inspirem. 😉

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A face mutante do Diabo e sua utilidade para a igreja

Os fantasmas da (i)moralidade religiosa querendo assombrar o ensino de biologia

O tempo e o senso comum